Óleos de Cozinha (Parte 1)

Tendo em vista a grande polêmica sobre os óleos usados na cozinha, e as informações contraditórias de médicos e nutricionistas, resolvi juntar alguns posts de um médico que sigo, o Dr. Barakat (até porque não trataria de um assunto sério expondo uma opinião particular sem fundamentos né!)

Ficou enorme mas vale a pena ler!

E como o tema é grande e confuso, esse será o post 1 e trarei outro mostrando os tipos de óleo mais saudáveis, ok!?

Hoje vamos desmitificar o malefício da banha de porco e os benefícios do óleo de canola, não sei vocês mas eu me sinto enganada e muito perdida diante de tudo isso.

BANHA DE PORCO

banha

            Antigamente, principalmente na época dos nossos avós, a comida era preparada de um jeito muito especial, com ingredientes que vinham da própria natureza ou da criação de subsistência, ou seja, de uma fonte confiável. Talvez por isso, a comidinha da sua avó tenha aquele sabor todo especial. A verdade é que apesar de a banha de porco (que era muito utilizada na culinária antigamente) ser vista como uma grande vilã, ela pode sim fazer muito bem para a saúde desde que consumida da maneira certa e com moderação! Ao contrário do que se imagina, a banha de porco atinge a temperatura certa para fritar os alimentos muito mais rápido e, por não ter sofrido processo de industrialização, ele não contém o grande número de compostos que são tóxicos a saúde, como radicais livres, que como sabemos, podem causar câncer se consumidos por muito tempo.

Outro mito que a Indústria Alimentícia nos fez acreditar por muito tempo foi que a banha de porco causa doença cardíaca, o que é um grande engano, visto que a gordura animal é completamente saudável ao organismo. Não podemos dizer o mesmo sobre os óleos vegetais, conforme um estudo com os hábitos de consumo e mudanças na dieta de 458 homens entre 30 a 59 anos que haviam sofrido problemas cardíacos que comprovaram a sobrevida dos mesmos, pois aqueles que substituíram a gordura animal por óleo vegetal, tiveram o dobro de mortes quando foram comparados aqueles que consumiam apenas a gordura animal. Após uma revisão desse estudo que teve como base um trabalho realizado entre 1966 e 1973 na Austrália, os resultados foram publicados no ‘British Medical Journal’. Fora isso, a banha de porco é muito mais nutritiva e contém nutrientes que trazem benefícios para a saúde, como as vitaminas C e B, além de minerais como ferro e fósforo, podendo também ser consumidas por pessoas com diabetes, pois não contém açúcar em sua composição. Um alimento com tantos benefícios, não pode ser ruim não é mesmo?

Os benefícios descobertos no uso da banha nos alimentos são incríveis e mostram que ela também pode ter bons resultados contra a depressão, pois é rica em ácido oleico, que está diretamente relacionada a diminuição do risco de desenvolver o distúrbio. Além disso, também pode ser consumido por diabéticos, como dito anteriormente, já que estão mais suscetíveis a ter problemas vasculares, uma vez que a banha de porco contém em sua composição  aproximadamente 40% de gordura saturada e 45% de gordura monoinsaturada, números que fazem com que ela seja totalmente balanceada e indicada para o consumo. E você? Depois dessas informações ainda vai ficar refém dos óleos industrializados ou vai se render as delícias da comidinha da casa da avó? A escolha é sua!

 CANOLA

canola2

            Vamos desmascarar de uma vez por todas um dos óleos mais falsos que a Indústria Alimentícia vem te vendendo como a opção mais saudável! Ah, o óleo canola é o melhor que existe, tem certeza? Então leia este post e depois tire suas próprias conclusões! Para começo de conversa, você sabe do que é feito este produto? Não há uma planta com este nome, porque canola não passa de uma sigla para “Canadian Oil Low Acid”, que é uma invenção canadense feita em laboratório.  Aquela flor que aparece nos rótulos nada mais é do que a planta colza. A canola deriva dessa planta, que é geneticamente modificada sendo o resultado de um cruzamento de várias subespécies de plantas da mesma família. Ou seja, o óleo canola nada mais é do que uma produção de um composto híbrido da colza. Se você não achou nada demais, continue lendo. A intenção do Canadá foi buscar alternativas saudáveis para as opções poliinsaturadas, como o de soja e milho (ambos transgênicos, hein?), e que também fosse menos caro que o azeite e que, diferentemente deste, pudesse abastecer o mundo todo. Nestas pesquisas, os cientistas descobriram que o óleo de colza era um monoinsaturado e que já havia sido usado em outros lugares do mundo. Parece que está tudo ok até aqui, mas o grande problema é que quase dois terços desses óleos monoinsaturados presentes na colza se trata de ácido erúcico, um ácido extremamente tóxico e com grande associação a problemas no coração (lesões fibróticas). O que ninguém dizia também é que o óleo de colza não é um óleo comestível, ele é um óleo industrial! Sabe onde é usado? Na produção de velas, sabonetes, tintas e até lubrificantes e biocombustível. Além dessas utilidades, a colza também é considerada como um repelente eficiente, quando bem diluída, sendo um veneno para combater pragas em jardins. Ou seja, nem os animais e insetos conseguem ingeri-las. Mas aí o que a indústria e o governo canadense fizeram? Fizeram essa colza geneticamente modificada, deram o nome de canola que, até então, teria poucas quantidades de ácido erúcico e então o problema estava resolvido. O marketing entra em massa, troca o nome do óleo de colza (conhecido como industrial) por óleo canola e os médicos e nutricionistas nos convencem a usá-lo, olha que conveniente! O óleo canola tem menos ácido erúcico que o óleo de colza sim, mas essa pouca quantidade já é suficientemente tóxica e, pra piorar novamente, o efeito é cumulativo (os sintomas podem demorar 10 anos para aparecerem). Já existem trabalhos relacionando o óleo canola com inúmeras enfermidades: problemas como câncer, câncer de pulmão, atraso no crescimento. E não se engane: até o FDA proíbe o uso do óleo canola em fórmulas infantis como NAN!

O óleo canola pode também aumentar o colesterol e causar problemas cardíacos. Isso acontece porque um dos principais contribuintes para esses distúrbios são os processos inflamatórios que se instalam nas artérias e demandam que o corpo direcione suas moléculas de colesterol (as que o nosso próprio corpo produz), que são utilizados na tentativa de amenizar essa inflamação. Se continuarmos com os causadores dessa inflamação (má alimentação, estilo de vida ruim etc), o corpo continua enviando colesterol para tentar minimizar os efeitos da inflamação e vai se acumulando gradativamente até entupir os vasos. Além disso, como muitos óleos vegetais, quando exposto à alta temperatura, a estrutura de suas moléculas sofre alterações e se transforma em gordura trans. Nos EUA já existem ações contra empresas que fabricam o óleo canola, por conta de casos sobre pessoas que foram intoxicadas e até mortas após o consumo. A ação nos EUA contra a empresa Monsanto (empresa que fabrica o óleo de colza e o óleo canola) pode ser encontrada em alguns sites, pois não há como esconder o malefício que isto causa. E para piorar, mais um dado assustador sobre a colza: era a matéria prima do famoso gás mostarda da 1ª Guerra Mundial, conhecido por ser tóxico e mortal. Apesar da indústria afirmar que a hibridização eliminaria este problema, as descrições do gás e do óleo coincidem em muitos aspectos. Leiam e conheçam mais sobre o tema, vocês vão se assustar com a quantidade de estudos que pesquisadores sérios fazem pelo mundo e a Indústria esconde!

Fonte: Dr. Mohamad Barakat, formado pela FMABC-UNIFESP/EPM, Pós-Graduado em Endocrinologia e Metabologia pela IPEMED (http://drbarakat.com.br/)

Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s